Moitões a venda

Passando aqui no Blog rapidamente para deixar a dica que estou vendendo um conjunto de moitões para Hobie Cat da marca Harken que comprei nos Estados Unidos. Os moitões são novos e nunca foram utilizados. Estou vendendo pois tenho mais dois deles que utilizo em minhas velejadas que ultimamente tem sido poucas por causa do meu trabalho.

foto 1
foto 2

Descrição da venda:

1 Moitão Catraca de 57mm com mordedor da marca Harken, em perfeito estado.

1 Moitão fixo triplo de 39mm da marca Harken, em perfeito estado.

Produto nunca utilizado e ideal para quem veleja com Hobie Cat 14 ou 16. Esta marca é uma das grandes marcas mundiais de produtos náuticos e o material dele é de alta qualidade, resumindo nunca vai te deixar na mão.

Quem tiver interesse, pode acessar o link do Mercado Livre e comprar por lá.

LINK – http://goo.gl/CNSBCk

 

 

Vamos treinar para voar?

Nada fácil, porém necessário. Uma equipe começa a ganhar uma prova em terra.

Navegando ou voando?

Fiquei impressionado com esse vídeo. O Oracle Team USA está se aperfeiçoando não só em relação a sua equipe, mas também em relação a tecnologia. Certa vez me lembro de um amigo no iate clube que me disse, que os barcos novos voariam, e eu pensei, este cara está louco, mas é a mais pura verdade. Um barco voando, tem menos área de arrasto e com isso, fica mais rápido. Enfim, para quem gosta de cats, esse vídeo é a prova que os barcos atuais que irão participar da Americas Cup, estão voando, ao pé da letra.

Há 1 ano atrás

Existem algumas coisas que marcam nossas vidas. A minha primeira e grande velejada foi marcada por ótimos momentos com os amigos Nelson, Lúcia, Eduardo e Guilherme que eu acabei escrevendo e compartilhando com todos vocês, meus amigos. Para relembrar um pouco de uma viagem inesquecível que completa 1 ano, selecionei os links e publiquei aqui.
Sobre o barco:
http://migre.me/aDOrn
Saída de Natal:
http://migre.me/aDOqQ
Primeira parada:
http://migre.me/aDOo5
Mar, Ilha e Terra:
http://migre.me/aDOni

Segunda parada:
http://migre.me/aDOjN

Terceira parada:
http://migre.me/aDOiV

Mais fotos aqui:
http://migre.me/aDOhP

Para ler mais sobre esta viagem maravilhosa, sugiro visitar também o Diário do Avoante de Nelson Mattos que sem sobra de dúvida escreve muito mais e tem mais propriedade sobre o assunto. Para ler sobre esta viagem no blog dele, visite: http://migre.me/aDOgL

Como o barco veleja?

Um veleiro tem quatro componentes básicos que permitem que possamos velejar. Eles são a armação, as velas (sail), a quilha ou bolina , e o leme.

A armação é projetada levar tripulação, o casco , obviamente equipado com mastro que envergará as velas e fará com que o barco possa se movimentar pela pela água com facilidade.

As velas na verdade provêem a força e propulsão do vento para fazer o barco mover pela água. Imaginar um veleiro navegar a favor do vento , ou sendo empurrado, é uma solução simples e direta de observação e análise.

É entretanto para muitas pessoas é difícil à compreensão de entender como um barco a vela navega contra o vento . Mas sabemos se o veleiros estiver na zona neutra suas velas não terão nenhuma força de propulsão elas ficarão simplesmente panejando como um bandeira tremulando ao sabor do vento.

A força que o vento transfere de fato às velas faz um barco avançar em conjunto com a ação da quilha, da bolina, que está sob a água. Se você fosse olhar para uma asa de avião você terá uma figura como a parecida com a figura ao lado o ar passa pelo perfil causando sustentação do perfil.

No barco a vela o ar que passa pelas velas cria efeito parecido ou semelhante ao criado na asa do avião.

Este efeito na aviação denominamos sustentação, no barco poderemos classificar como potência, força lateral , que em conjunto com a quilha , e ou bolina, impedirá que o barco seja empurrado pelo vento esta resistência se traduzirá em movimento para frente e também um ligeiro movimento lateral (leeway ) .

O leme é usado para guiar o barco. Você pode ter uma extensão presa ao leme que denominamos cana de lime. Quando a cana de leme é movido a um dos lados o leme desloca a massa de água que flui na superfície do leme e faz com que ele manobre na direção contrária. Em veleiros maiores que utilizam uma roda de leme para guiar o barco vira o mesmo modo que a roda é virada.

Somos o resultado de experiências

Nunca duvidei disso, por isso volto a escrever hoje. Ao navegar pelo facebook, avistei rapidamente no scroll uma foto com a marca da Hollywood e barcos. Ops, não poderia deixar esta foto passar em branco. Lá fui eu olhar a foto do Nelson Piccolo e o que era curiosidade se tornou um prazer. Fiquei olhando a foto por um tempão, cada detalhe, roupa das muitas pessoas, os barcos, a vela do “Wind”, bandeiras, e tanta coisa que me fez pensar, porque não temos mais eventos assim.

 Ipanema / POA, taça Hollywood - Foto de Nelson Piccolo

Hoje se sou publicitário e velejador, sem dúvida este momento da década de 80 foi marcante e contribuiu muito para formar minha personalidade.

Então no ápice da minha empolgação, resolvi escrever um pouco sobre esta época e falar somente sobre a parte náutica, pois a Hollywood fez muito pelos esportes alternativos da época em geral.

Quando a empresa Souza Cruz resolveu lançar sua marca de cigarros, ela contou com uma agência conhecidíssima no mercado pelos seus cases, a DPZ que nada mais é do que uma referência para nós publicitários. A proposta no início da década de 70 era colocar jovens praticando esportes radicais, com isso as vendas do cigarro começaram a crescer. Inicialmente era muito utilizado a imagem de velejadores, atletas, pilotos, nadadores e etc.

O resultado não poderia ser melhor nas vendas: O Hollywood se tornou o cigarro mais vendido do Brasil. No início dos anos 80, foi lançada a famosa campanha “Isto é Hollywood, O Sucesso”. Com a campanha, a marca começou a passar por diferentes praias do nosso litoral, sempre divulgando e estimulando a vela. Eram eventos memoráveis e eu cheguei ainda muito criança a ver alguns no Rio de Janeiro, onde o movimento era intenso nas praias e a agitação mudava a rotina da cidade. Lembrei-me que tinha um relógio deles, que achei um similar na Internet.

Para finalizar, no ano passado, depois de ser comprada pelo Publicis Groupe, parceiro global da Phillip Morris, a agência DPZ perdeu a conta que atendia há 41 anos

Enfim, como escrevi no facebook, para não fazer disso um manifesto, resolvi pegar umas coletâneas de músicas desta época e publicar aqui. Quem quiser vale a pena baixar e velejar ouvindo alguns desses clássicos que fariam nossos pais chorarem…

“The Final Countdown” – Europe
“Breaking all the Rules” – Peter Frampton
“Play the Game Tonight” – Kansas)
“Did it All for Love” – Phenomena II
“Iron Eagle” – King Cobra
“Only Time Will Tell” – Asia
“Born to be wild” – Steppenwolf
“Pain Lies on the Riverside” – Live
“More than a feeling” – Boston
“Jump” – Van Halen
“Burning Heart” – Survivor
“Eye of the Tiger” – Survivor
“When I See You Again” – Fleetwood Mac
“Holding out for a hero” Bonnie Tyler
“You give love a bad name” – Bon Jovi
“Love ain’t no stranger” Whitesnake
“Oh, Sherrie” – Journey
“Don’t Stop Believe” – Journey
“I hear you call” – Bliss
“Born To Be Wild” – Steppenwolf
“More Than a Feeling” – Boston
“Hollywood Way” (Jingle)
“Rollerblade” (Jingle)
“All For A Reason” – Alessi
“Wuthering Heights” – Kate Bush
“Warm Ride” – Rare Earth
“Dance With You” – Carrie Lucas
“Love I Need” – Jimmy Cliff
“While You See A Chance” – Stevie Winwood
“Every Little Thing She Does Is Magic” – The Police
“You Better You Bet” – The Who
“Play The Game Tonight” – Kansas
“Only Time Will Tell” – Asia
“Hold On” – Santana
“Separate Ways” – Journey
“Original Sin” – Inxs
“Run To You” – Bryan Adams
“Get It While You Can” Gary O.
“It’s Raining Man – The Weather Girls
“If Looks Could Kill” – Heart
“I Just Died In Your Arms” – Cutting Crew
“Love Walks In” – Van Halen
“Woman In Chains” – Tears For Fears
“Miles Away” – Winger

Release 01

Para acessar a página do facebook clique aqui

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 799 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: